Tuesday, November 20, 2007

Sobre meninos e contratos

Tudo começou ontem quando uma coisa me fez querer comprar um celular. O que não importa agora. Fato é que eu fui, eu e meu pai. Ele veio pra justificar a DBA com o nome dele, pc novo. A vendedora toda lépida anunciava as maravilhas do plano alguma-coisa-meia-10 e etc. Comprei o cel com uma ajuda predatada do progenitor e beleza. CPF, RG, etc e comprovante de residência.

"Sorry, mas a conta não vale. Tem que ser alguma coisa no nome"
"Pode ser de aluguel? Mas tá no nome do meu primo"
"Pode sim, eu te dou uma declaração, você preenche e autentica no cartório. Trazendo junto o contrato"
"Pode ser amanhã? É que só de noite ele chega em casa"
"Pode"

"Olá. Eu trouxe as coisas"
"Então vou ali scannear e fica tudo certo"
...


. . .

...
"O contrato tem que estar autenticado" eu autentiquei a declaração, o contrato não, achando que só a declaração precisava
"O que, exclarrogação"
"Tem que autenticar"
"Se quiser pode ligar daqui mesmo pra imobiliária", apontando pra direção do telefone. Não digo o nome pois ainda me resta alguma ética em meio a raiva, desapontamento e não-sei-o-que (não tô com vontade de pensar no nome agora, é que gosto de exemplos dados em tríades; soa mais rítmico)

'Bora pro cartório. "Precisa da original" "uhmmm (tom nada surpreso). E quanto sai? é por página?". O "carteiro" vai do ladinho faz uma conta na calculadora e "Oito e setenta" "OMFG!!", isso eu só pensei, porque na verdade soltei um "puta merda..."

'Bora pra imobiliária. "Preciso do contrato original" tava puto, não tava nem aí com o original, era scannear mesmo, eu dava o original scanneava e boa. Demorou um tempo lá, seilá o que faziam. Me entregaram o original com a ressalva de entregar no mesmop dia e tal. Claro que eu falei que era pra autenticar o xerox e tals. tentei direto o original. A vendedora, já com pena de mim, "Ixe! não tá autenticado. Você vai ter que autenticar..." "Oito pila... :(" "Caro..." "É por página..."

'Bora pro cartório de novo. "Autentica pra mim" com um arremedo de cara de bunda. Lá se foram os oito pila. Daí sim eu consegui! Hooray! Eu que tinha pensado se era possível processar alguém por conta de um contrato não autenticado/ xerox não autenticado do contrato desde a desconfiança da necessidade da original queria sangue. Quero ainda. Pelo menos uma coisa foi boa dessa história toda, a vendedora era bonita e tinha um perfume bem gostoso, tinha pretexto. Eu devia estar expiando as encheções de ontem do meu pai com ela. Tadinha, deve ter ficado quase louca.


Moral da história praticamente: não peça a um menino fazer o trabalho de um homem. Ou seja, autenticar o original e dar o xerox autenticado ao locatário.



----------------------------------------
bochechas!candido-púrpureas
-> parfum d'oggi
-> magazine d'oggi
-> escrever no mais tardar sobre isso amanhã



nbsp;

1 comment:

margarida said...

Hahahahaha
História confusa.
Mas só autentico com o original.
=*